AbbrA

A Arte de Viver                                  Valmor  Vieira

    

Principal

       

Magia

Talismã sagrado
Tarô
Kama Sutra
Cromoterapia
Numerologia
I Ching
Sonhos Lúcidos
Orações e preces
Cristais e pedras
Objetos mágicos
Auto-afirmações
Outros temas
Enigmas
Religiões
         

Capacitação

Vivências
Jogos
Cursos
Conferências
Palestras
Livros
         

Filosofia

Fábulas
Mensagens 
Citações
Poesias 
        

Humor

Cartum
Causos
Piadas
      

Conheça-me

O que dizem..
A sua opinião
Contato
     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

Sic volo, sic jubeo, sic pro ratione voluntas

 

Fernando de Noronha 

 

 

1. A origem geológica

Há 12 milhões de anos, um vulcão entrou em erupção numa fresta da crosta terrestre resultante do afastamento ocorrido entre a África e a América do Sul. Este e mais outros eventos vulcânicos deram origem a uma montanha submarina com aproximadamente 4.000 metros de profundidade e uma base de 60 Km de diâmetro em pleno Oceano Atlântico. Assim, surgiu um dos mais belos arquipélagos: Fernando de Noronha.

 

 

2.  A localização geográfica

O arquipélago se situa a 360 Km de Natal, 710 Km de Fortaleza e 545 Km de Recife. São ao todo 25 ilhas ou ilhotas, sendo a principal a ilha de Fernando de Noronha com 17 Km2.

Fernando de Noronha tem sua maior extensão na direção leste-oeste com cerca de 15 Km. Na direção norte-sul, na sua maior largura, mede aproximadamente 4 Km, na parte central da ilha..

Os ilhéus chamam a parte sul de Mar de Fora, porque fica exposto aos ventos dominantes e o lado norte de Mar de Dentro, que está na direção do litoral brasileiro.

 

 

3. A História

Descoberto por acaso, em 1503, como conseqüência do primeiro naufrágio do Brasil, este lugar encantou o descobridor Américo Vespúcio, fazendo-o narrar em carta toda aquela beleza.

Em 1504 tornou-se a primeira capitania hereditária do Brasil. Foi chamado de muitas formas nas cartas náuticas, prevalecendo o nome do fidalgo português  Fernão de Loronha, seu donatário e financiador da expedição que o descobriu. 

Conheceu a pirataria dos mares e a presença de outros povos: alemães, franceses, ingleses e holandeses, sendo que estes últimos permaneceram na no arquipélago por 25 anos, entre 1629 e 1654.

Foi presídio comum de Pernambuco (1737/1938), presídio político da União (1938/1942), destacamento misto da II Guerra Mundial (1942/1945), território federal (1942/1988) e, finalmente,  reintegrado ao Estado de Pernambuco pela Constituição em 1988.

Veja também em detalhes, recheada de fotos:

         
Home
        

Álbum

Paisagens
Pessoas 
Flores
Animais
Moradas
       

Viagens

Brasil

Fernando Noronha
Natal
Florianópolis
Pantanal
Chapadas
Bonito
Nordeste
Litoral Sul
Rio de Janeiro
São Mateus Sul 
Outros

Peru

Machu Picchu
Cuzco
Nazca
Puno
Pisco
Lima

Bolívia

Tiahuanaco
Ilha do Sol
La Paz

Oriente Médio

Istambul
Jerusalém
Radical
         

TC